Other Manual Translations: English Español

Esperando no deserto da vida

Deserto é uma metáfora para um lugar "no meio"
Deserto é uma metáfora para um lugar "no meio"

O que um pastor Metodista Unido faz quando é absolutamente miserável em sua nomeação? (Acho que acontece mais do que estamos confortáveis em admitir...)


Nomeação: A acusação ou papel ao qual uma pessoa do pastorado Metodista Unido é atribuída por um bispo.


Bem, pode-se orar por um senso renovado de coração ou espírito e, em seguida, esperar no Senhor. Ou acho que outra opção é resolver as coisas e tentar forçar algo a acontecer.

Quando eu estava nesta situação, eu optei pelo último. Não foi muito bom para mim.

Em vez de ser paciente e orar, tentei fazer com que certas coisas acontecessem e culminou com uma das piores reuniões que já tive com um bispo (não que eu tivesse muitas reuniões para começar). Saí do escritório do bispo e só conseguia pensar naquele meme estúpido (e tropo de filme) Gravando com o Pause Apertado:  "Você provavelmente está se perguntando como eu cheguei aqui..."

Como cheguei  lá foi devido à minha impaciência, desespero, e meu desejo de estar no controle. Eu me meti nessa confusão porque decidi resolver o assunto com minhas próprias mãos. Olhando para trás, se eu tivesse feito as coisas pacientemente, a situação certamente teria sido diferente.

A jornada que se seguiu foi dolorosa e estressante - ficar preso em um lugar intermediário. A Bíblia chama de "o deserto". É um espaço que muitos na Bíblia estavam familiarizados com:

Abraão sendo prometido a um filho e a  longa espera até o nascimento real de Isaac...

Os israelitas sendo libertados da escravidão e realmente chegando à Terra Prometida...

Davi sendo rei ungido e realmente sentado no trono...

Jonas estar na barriga de um peixe...

O filho rebelde saindo de casa e depois voltando aos seus sentidos...

A viagem de Saulo para Damasco para tornar-se Paulo...

O batismo de Jesus e o início de seu ministério...

Mas é neste espaço entre - neste deserto - onde eu realmente  encontrei Deus. Este espaço não tinha espaço nem tempo para as mentiras ou as fachadas. Era o espaço aonde eu estava chegando ao fim de mim mesmo, mas eu não tinha uma percepção de que eu me meti nessa confusão e eu não seria capaz de sair por conta própria.

Foi quando finalmente parei de lutar e pedi ajuda a Deus.

Richard Rohr fala sobre a representação oriental da Ressurreição. Ele descreve como Adão e Eva são impotentes para sair de seus túmulos. A única saída é que Jesus os puxe pelos pulsos.

Eu me enfiei nisso. A única saída era pela graça de Jesus Cristo.

Depois de semanas de ansiedade maciça, finalmente admiti que não tinha poder para fazer nada sozinho. Eu tentei tudo sozinho e isso não me levou a lugar nenhum - talvez mais abaixo do buraco.

Então eu soltei. Orei: "Tentei de tudo e nada está funcionando. Então me ajude.

E... estranhamente, eu encontrei a paz. Acordei no dia seguinte, bem ainda ansioso, mas visivelmente um pouco menos ansioso. E eu esperei. E eu orei. E eu esperei. Às vezes eu sentia vontade de morrer porque nada estava acontecendo. Mas um dia, o telefone tocou e as coisas começaram a se encaixar. Comecei a ver a luz no fim deste túnel.

Senti como se entrasse no espaço com um ego enorme. O tempo vagando no deserto me quebrou. Mas quando finalmente chorei por ajuda, Deus me pegou e me juntou, do jeito que Deus queria que eu fosse.


Adoro como Marcos escreveu sobre o tempo de Jesus no deserto: "Ele estava entre os animais selvagens, e os anjos cuidaram dele." Mesmo no deserto, Deus não deixou Jesus sozinho.

Eu me senti assim. Meus "anjos" vieram na forma de amigos próximos e distantes me oferecendo palavras de encorajamento, apoio e "Como posso ajudar?"

Deus nunca me revelou a presença DEle através de grandes sinais milagrosos como a abertura do céu e uma voz em expansão vinda dos céus. Deus me lembrou através dos outros: uma reunião com uma xícara de café ou um restaurante mexicano, ou um cartão de presente da Pei Wei com uma quantia enorme de dinheiro nele.

Nunca tive muito dinheiro ou bens valiosos, mas tinha pessoas. Eu sempre tive pessoas, uma nuvem de testemunhas. Eu era rico em amigos e abundante no amor.

Naquele deserto, animais selvagens abundavam, mas os anjos também.

Aprendi uma lição sobre ego e orgulho da maneira mais difícil. Mas com essa lição veio essa sensação eterna de que - mesmo quando eu fico muito estúpido e/ou muito cheio de mim mesmo - a graça de Deus abunda. Deus não nos deixa só. Deus sempre esteve comigo e por mim e Deus continuará a estar comigo e por mim para me inspirar apesar de mim mesmo.
Joseph Yoo  é da costa-oeste de coração e vive em Houston, Texas com sua esposa e filho. Ele serve na Igreja Mosaico em Houston. Encontre mais de suas redações em josephyoo.com.