Other Manual Translations: English Français Español

Chamado para confortar aqueles que choram

Taylor Hall, a 19-year-old Indianapolis college student, feels called to use her voice to speak out for those who can't stand up for themselves. Photo courtesy of Taylor Hall.
Taylor Hall, a 19-year-old Indianapolis college student, feels called to use her voice to speak out for those who can't stand up for themselves. Photo courtesy of Taylor Hall.
Indianapolis activist Taylor Hall performs her song, "I Can't Breathe," at a peaceful protest advocating for racial justice. Photo courtesy of Taylor Hall.
Indianapolis activist Taylor Hall performs her song, "I Can't Breathe," at a peaceful protest advocating for racial justice. Photo courtesy of Taylor Hall.
Taylor Hall, 19-year-old Indianapolis college student, believes her call is to use her voice for those who can't stand up for themselves. Photo courtesy of Taylor Hall.
Taylor Hall, 19-year-old Indianapolis college student, believes her call is to use her voice for those who can't stand up for themselves. Photo courtesy of Taylor Hall.

Quando Taylor Hall lê Isaías 61, a mulher de Indianápolis de 19 anos ouve sua chamada nesses versos, especialmente as palavras: "... para confortar todos que choram..."

"Eu diria que Deus definitivamente me quer em um papel de liderança para usar minha voz para defender pessoas que não podem", diz Hall. "Isaías 61 é para mim."

Colocando seu chamado em hiper-drive nos últimos meses, a universitária está trabalhando contra a injustiça racial formando uma organização sem fins lucrativos chamada Black Women in Charge, organizando protestos pacíficos e gravando e lançando uma música e vídeo intitulado, "I Can't Breathe" (eu não posso respirar).

Hall tomou seu lugar em um legado familiar iniciado por seu avô, o Reverendo Dr. Kent Millard, ex-pastor titular da Igreja Metodista Unida St. Luke e presidente do Seminário Teológico United.

Hall, que foi batizada e cresceu na Igreja Metodista Unida St. Luke, frequentemente ouvia as histórias de quando seu avô marchava ao lado do Reverendo Dr. Martin Luther King na década de 1960.

"Ele sempre vinha à minha escola e falava em defender o que é certo", lembra Hall, quando ela era mais nova. "Ele me inspirou. Ele estava na faculdade quando marchou com Martin Luther King", ressalta. "Eu sinto que se ele fez isso, eu deveria ser capaz de fazer isso também."

Antes de um protesto recente em Indianápolis, ela pediu conselhos ao avô. Ele disse-lhe para não ser violenta, mas para usar a voz dela e falar contra as injustiças.

Naquela reunião de dezenas de milhares, Hall cantou sua canção, "I Can't Breathe", que foi escrita pelo pai de Hall, Eddie Hall. A canção incorpora a frase repetida por George Floyd (e outros) antes de morrer como resultado da brutalidade policial. O vídeo combina imagens de 2020 com fotos do movimento pelos direitos civis dos anos 1960.

"I Can't Breathe" é o primeiro single de Hall.

"Eu nunca tinha lançado nenhuma música antes", ela ressalta, "mas me senti chamada para colocar essa mensagem lá fora."

O calendário de Hall está começando a ser preenchido enquanto ela fala e se apresenta em eventos filantrópicos, comícios de jovens e outros eventos sem fins lucrativos. É nesses eventos que as pessoas muitas vezes perguntam a Hall o que podem fazer, uma pergunta para a qual ela  chama para três atitudes:

  • Voto
  • Seja um amigo
  • Levante-se e fale

Os três passos simples – mas nem sempre fáceis – significam "fazer amizade com pessoas que não necessariamente se parecem com você", explica. "E levante-se quando você vê algo que está errado, não importa qual seja a situação. Você tem o privilégio de ficar e ser um aliado.

Na maioria dos dias, Hall é encorajado pelo que está acontecendo ao redor dos Estados Unidos com protestos pacíficos e conversas importantes. Nos dias em que ela se sente sobrecarregada, ela diz que Deus é rápido para enviar um incentivador.

"Às vezes é um membro da família que me liga para me dizer algo que eles se sentiram motivados para compartilhar ou é um versículo bíblico que aparece no meu aplicativo de telefone ou um sermão que eu ouvi naquele dia", ela compartilha.

"Eu realmente recebo uma mensagem de Deus que me diz para continuar."

Crystal Caviness trabalha para UMC.org na United Methodist Communications. Entre em contato com ela por e-mail ou pelo telefone 615-742-5138.

Esta história foi publicada em 4 de agosto de 2020.

Junte-se a nós no dia 26 de agosto de 2020, para uma discussão na Câmara Municipal com um grupo de líderes emergentes que discutem suas estratégias para desmantelar o racismo. Mais informações aqui.