Other Manual Translations: English Español

Regras Diferentes: Amor

Na parte três de uma série de quatro  sobre as regras diferentes que os Cristãos são chamados para viver, o Rev. Pedro Pillot da igreja Asbury UMC em Camden, NJ ensina que a regra de ouro é a mais difícil de se seguir.

Regras Diferentes com Pedro Pillot
3) Amor

Transcrição:

Meu nome é Pedro Pillot. Eu sou o pastor da igreja Asbury United Methodist Church em Camden, New Jersey.

O Reino de Deus é tão diferente do nosso porque é baseado no amor. Deus ensinou aos seus estudantes que de todas as leis das escrituras Hebraicas, as duas mais importantes são as de amar a Deus completamente e de amar a seu próximo o ser humano.. É um tipo de amor que não faz sentido. Esse tipo de amor não é natural para muitos de nós. Como seres humanos, nós temos a tendência de dar aos outros o que eles nos dão.

Se alguém for bom pra mim, naturalmente eu vou ser bom pra ele. Se alguém me fizer mal, naturalmente farei o mesmo. Mas a vida não é sobre ser bom ou mau. Você pode ser bom de um lado e completamente perverso de outro. Não importa quão bem você fale se as suas palavras negam o valor de outro ser humano. Não importa o quanto a pessoa diga “eu odeio o pecado e não o pecador” se ela usa os seus lábios para negar o valor do tal pecador como ser humano. O nosso instinto é de repetir esse tipo de mal dirigindo ao que nos atacou tentando nos rebaixar. A mesma passagem nas escrituras nos diz que o amor é paciente, e o amor é benigno, e também nos diz que o amor não busca os próprios interesses. Quando falamos coisas que machucam aos outros, mesmo que elas sejam verdadeiras ou quando cremos que são, sabendo que nada vai mudar, mas que isso vai trazer mais sofrimento, nós não estamos expressando o amor. O que estamos fazendo é buscar o próprio interesse. O oposto do amor.


O nosso instinto é de repetir aquele tipo de mal com o que nos atacou quando ele queria nos menosprezar. Mas Jesus ensinou aos seus estudantes, “ame os seus inimigos”. Aqueles que não vão te amar, não pode e não irão te amar, ame a eles. Jesus disse “ore pelos que te perseguem”. Porque no Reino de Deus, nós somos chamados para desejar o bem aos que desejam o nosso mal, somos chamados a amar os que nos amam e aos que não nos amam.

No Reino de Deus, não há espaço para amor em meio termo, porque Deus nos ama completamente. Assim como somos, independente do bem que fazemos ou do mal que nos aprisiona surpreendentemente. Deus nos ama. A história da criação em Gênesis nos diz que os seres humanos foram criados na imagem de Deus. O que quer dizer que algo em cada um de nós reflete o que Deus é. Quando vemos a face da pessoa que nos rebaixou, que nos feriu, nós estamos olhando para uma imagem distorcida que em algum lugar, debaixo daquelas camadas de ódio, reflete o amor de Deus. Quando eu tenho dificuldade de amar pessoas difíceis de serem amadas, eu penso na minha avó. Ela era de Arecibo, Porto Rico, e ela tinha um jeito peculiar de falar. Quando eu encontro uma vó de Porto Rico que pronuncia as palavras como minha vó pronunciava, eu sinto o amor que eu tinha pela minha vó invadir a minha interação com aquela pessoa. É um reflexo involuntário. Então eu olho pra pessoa difícil de amar, e eu tento lembrar que debaixo daquela armadura que ela usa, eles são feitas a imagem de Deus assim como eu sou. Então por dentro, elas se parecem comigo.

O amor que serve como base do Reino de Deus não é amor de meio-termo. Não tem condições ou ressalvas. É radical, um amor universal. Jesus constantemente estava na companhia de pessoas marginalizadas pela comunidade.

Pessoas que foram marcadas pela sociedade geral como sem valor por casa da sua etnia, ou doença, ou incapacidade, ou do trabalho que tinha ter para sobreviver. Quando Jesus falou com eles, ele não deu atenção aos rótulos que eles tinha, mas ele viu a faísca do Divino brilhadno através de tudo e simplesmente amou.

Em sua carta da Prisão em Birmingham, Dr. King perguntou aos seus colegas “Jesus não foi extremista por amor”? Dr. King disse que os brancos de sua época não viram que Jesus estava operando com regras diferentes do mundo ao seu redor porque ele era um extremista ideológico através do princípio do amor. Em um mundo que é generoso com o rico e odioso ao pobre, um mundo que nos diz pra pagar mal por mal com juros, a única ideologia que vale a pena seguir é a ideologia do amor de Deus, e é a única ideologia com o poder de transformar o mundo.