Other Manual Translations: English Français 한국어 Español

Transformando no que você vê

Mudando a visão dos outros
Mudando a visão dos outros

A transformação espiritual, segundo a Wikipédia, "envolve uma mudança fundamental na vida sagrada ou espiritual de uma pessoa".

Obrigado pela vaga definição, Wikipedia.

No entanto, eu não acho que realmente há uma definição específica ou significado para a transformação espiritual. É como o Juiz Potter Stewart descreve a pornografia: eu sei quando a vejo.

Isso porque a espiritualidade pode ser tão única quanto um indivíduo. O que eu posso considerar sagrado, você pode pensar que é bobo e vice-versa.

Alguns podem experimentar a transformação espiritual como entrar em sintonia com o mundo ao seu redor.

Outros podem definir a transformação espiritual como apenas se tornando uma pessoa (mais) agradável.

Eu não quero ser o único que participa do jogo de Polícia de Transformação Espiritual, ou - validar a experiência de um e, em seguida, olhar para o outro e dizer: "Mas você realmente  experimentou uma transformação espiritual?"

Em vez de passar esse tempo falando sobre o significado da transformação espiritual ad nauseam. Prefiro falar sobre um efeito colateral da transformação espiritual, pelo menos para nós Cristãos. A transformação espiritual afeta a forma de como vemos.

Não vemos as coisas como elas são, diz Richard Rohr. Nós as vemos como nós somos. Ele também explica que a boa religião é sobre ver com razão.

Como você vê é o que você vê. Então a religião no seu melhor deve nos ensinar a ver as coisas como Deus as vê. Quando experimentamos uma transformação, paramos de ver coisas que queremos ver e lentamente acordamos para ver coisas como Deus as vê.

Uma das perguntas mais poderosas (para mim) que Jesus colocou vem de Lucas quando ele perguntou a Simão, o Fariseu Você vê esta mulher?

Em Lucas 7, Jesus é convidado para uma festa feita por Simão. Enquanto comiam, uma mulher entra com perfume em um vaso de alabastro. Ela começa a chorar aos pés de Jesus, molhando-os com suas lágrimas. Ela enxuga as lágrimas com o cabelo, beija seus pés, e derrama o perfume em seus pés.

Simão, o anfitrião, está furioso. Ele pensa consigo mesmo:  se este homem fosse um profeta, ele saberia que tipo de mulher está tocando nele. Ele saberia que ela é uma pecadora. (v. 39).

Há tantas coisas que nós, Americanos do século 21, não vemos nesta história:

Primeiro, presume-se que esta mulher é uma profissional do sexo. Em segundo lugar, as mulheres não são permitidas onde os homens se reúnem - muito menos esse tipo de mulher. A reputação do Simão está sendo terrivelmente prejudicada.

Não só isso, eu não ficaria surpreso se alguns dos outros homens estão tentando esconder seus rostos porque eles já usaram seus serviços antes.

Agora, a fim de enxugar suas lágrimas dos pés de Jesus com o cabelo, está implícito que ela teria que soltar o cabelo para baixo - o que novamente não significa nada para nós hoje. Mas naquela época, deixar seu cabelo solto como uma mulher em público era escandaloso. Isso era reservado apenas para quartos privados.

Todos esses protocolos sociais sendo quebrados em sua casa. Claro, Simão está furioso.

Jesus provavelmente podia sentir a fumaça saindo de Simão.

Ele lhe diz: "Simão, eu tenho algo a dizer a você" (v.40) e começa a contar uma história sobre duas pessoas que deviam dinheiro.

Depois que Jesus conta sua história, ele faz essa pergunta a Simão: você vê essa mulher?

Simão provavelmente está pensando: "Bem, sim. Claro que a vejo! Por que acha que estou com os nervos fervendo?!? Todos nós a vemos! Estamos todos chateados porque a vemos!

Mas Jesus perguntando a Simão o que você vê nela?  Não seus rótulos; não seus pecados; não seu estilo de vida; você a vê? Tudo o que Simão podia ver era a prostituta da cidade; a mulher impura; a pecadora.

Ele não podia ver que ela era filha de alguém; que ela poderia ser irmã de alguém; que ela poderia ser mesmo a mãe de alguém. Ele não podia ver a humanidade dela.

Ele não podia ver que série infeliz de eventos a levou até onde ela está agora.

Talvez ela tenha sido vendida como escrava pelos pais e o seu dono ordenou-a à fazer truques. Ou talvez ela fosse casada e seu marido morreu ou, pior, abandonou-a. Lembre-se, naquela época o valor de uma mulher estava ligado a um homem (filho, pai, marido). E como as mulheres não podiam ter propriedade, uma mulher sem homens está sem opções e sorte.

Ela não cresceu sonhando com esse estilo de vida. Mas Simão não podia ver isso. Ele só via a situação dela e não a humanidade dela.

Mas Jesus? Jesus a viu. Jesus reconheceu seu passado, mas também viu seu futuro. Jesus olhou além de seu passado, seus pecados, seus erros, seu estilo de vida, e em vez disso viu a imagem de Deus nela. Isso foi o que Jesus fez.

Ela era parte do seu povo: os não amados; os rejeitados; os forasteiros; os que eram desprezados pela alta sociedade; os ninguéns; o "eles" em "nós contra eles". Jesus não viu o que eles fizeram, mas o que eles poderiam ser.

 

Jesus reconhece seu vazio e quebra em vez de ampliá-lo; em vez de humilhar as pessoas por isso, Jesus fornece esperança, cura, restauração e redenção.

Quando experimentamos a formação espiritual, ela deve mudar a forma como vemos as coisas porque algo profundo dentro de nós mudou profundamente.

Vemos as coisas como somos, e agora, porque quem somos pode ter mudado, vemos coisas com óculos coloridos de Cristo.

E quando vemos coisas com aqueles óculos coloridos de Cristo, quando vemos coisas como Deus as vê, começamos a ver como as pessoas pertencem. Paramos de ver como manter as pessoas fora e começamos a ver como incluí-las em nossa comunidade - assim como Jesus fez.

No final do dia, o que faz de um "bom cristão" não é sobre quanta teologia se sabe, quantos versículos bíblicos se memorizam, quantas vezes se vem à igreja, quanto se dá em tempo e dinheiro, nem quantas regras se segue rigorosamente (que, por favor, não me leve a mal, são coisas importantes para fazer). Acho que o que faz de alguém um verdadeiro Cristão - um pequeno Cristo - é a capacidade de ver a imagem de Deus - de ver Cristo em tudo e em todos.

Porque somos cristãos, Cristo é a luz que ilumina tudo o que podemos ver. E como a luz de Cristo toca tudo e todos, devemos ser capazes de ver Cristo em tudo e em todos.

Se você vê ódio; se você vê medo; se você vê como as pessoas não pertencem - então quem ou qual é a luz que brilha o seu mundo? Não acho que seja Cristo. Porque se Cristo é realmente a luz brilhante do seu mundo, então não podemos deixar de ver Jesus em tudo e em todos.

Como você vê?

O que você vê?