Other Manual Translations: English français español

Porque os Cristãos se importam com o meio ambiente

Eu preciso fazer uma confissão: “eu falhei em amar o meu próximo como a mim mesmo”. Nos momentos em que eu demonstro desprezo pelo mundo natural ao meu redor, eu estou falhando em amar o meu próximo. . A questão é o porquê de acreditar que é porque eu (como uma pessoa da fé cristã) sinto uma preocupação profunda pelo mundo natural. 

No princípio, Deus criou e foi bom. No mundo cristão, existem diferentes opiniões de como Deus criou e quanto tempo levou pra Deus criar, mas em geral o consenso é reconhecido que Deus criou o mundo natural em bondade e amor. Deus cria e é bom.

Como parte da narração da criação escrita em Gênesis (o primeiro livro da Bíblia), os seres humanos receberam uma comissão para cuidar da criação (Gênesis 1:28). Parte de ser criado à imagem de Deus refere ao chamado para cuidar do mundo natural e sua bondade - assim como Deus expressou cuidado  bondade em criar ao mundo natural. A humanidade é chamada para ser “canal de transporte” de bênçãos para ambos uns aos outros e ao mundo natural ao nosso redor. Nós somos desafiados a manter a criação e o mundo natural bons. Quando falhamos, nós arruinamos a bondade da criação, nós estragamos a imagem de Deus em nós e nós bloqueamos o canal de bênçãos que flui de nós e para os outros. 

E agora é hora de confessar que eu demonstro um estilo de vida e tenho uma atitude que desvaloriza a bondade da criação. Eu me empenho em comportamentos que eu sei que prejudicam a bondade do mundo natural. Especificamente, eu dirijo para todo lugar que eu vou, fazendo emissões perigosas no ar. Eu consumo com pouca preocupação do abastecimento do que consumo e como eu disponho dos bens de consumo quando termino de usá-los. Eu poderia continuar. Mas é suficiente admitir que eu contribuo para a poluição que arruína a criação.

O mal que eu - e muitos outros - fazem contra a criação tem efeitos reais. Enquanto muitos não concordam que seres humanos estão contribuindo para a mudança de clima global (eu acredito na posição científica que a atividade humana contribui para o aquecimento global), nós não podemos negar que a atividade humana muitas vezes tem efeitos negativos no mundo natural.

Todo ano, oito toneladas de lixo (alguns provavelmente vieram da minha casa) são jogados no oceano, envenenam suprimentos de comidas naturais, e os corais. Fertilizantes que contaminam as fontes de água mandam animais selvagens. Deflorestação ameaçam habitats de animais selvagens, contribui para o dano do solo e para o efeito estufa. 

O mundo natural é um meio de encontrar a Deus. Romanos 1:20 diz que o poder de Deus e a natureza são entendidos e vistos através do que Deus fez. Nós vemos a bondade de Deus e o amor na natureza. Da mesma forma, nós entendemos que Deus cuida de nós por causa da abundância da natureza. O mundo natural providencia tanto do que precisamos.

Então quando estou contribuindo para a poluição da criação, eu creio que estou prejudicando os meus companheiros humanos porque eu estou limitando o acesso, ou até mesmo apagando o que eles precisam. Muitas vezes, os que estou prejudicando são os mais vulneráveis do nosso mundo. O que acontece quando o meio ambiente fica hostil ou inóspito? Que testemunho da bondade de Deus nós damos quando poluímos a água potável? Ou como experimentamos a bondade do amor de Deus quando queimamos  combustíveis fosseis que cria condições no ar que gera asma ou a irritação dos olhos? 

Quando contribuímos para essas condições, nós arruinamos o testemunho da bondade de Deus. Como que eu vou acreditar em um Deus de amor que se importa com todas as minhas necessidades se eu não acho água limpa para beber ou ar puro para respirar? E o fato é que quando mais pobre a pessoa é, o mais provável que a degradação do meio ambiente vai trazer efeitos negativo a vida. Quanto menos recursos a pessoa tem ao seu dispor, o mais provável que ela vai ter a experiência de dificuldades causadas pela influência ambiental da asma e do câncer. Quanto menos recursos financeiros, o mais provável será de ter contato com tóxicos em suas casas e bairros. Quanto mais longe da opulência, o mais provável que a pessoa seja dependente de fontes de água contaminada. O impacto de desastres do meio-ambiente (contribuídos por seres humanos ou não) é maior de acordo com o nível de pobreza.

Isso, eu acredito, liga a minha preocupação por meus companheiros seres humanos com uma preocupação pelo meio-ambiente.

João Wesley - uma voz influenciadora no mundo do Metodismo Unido - propôs três regras gerais para a vida cristã. Elas são bem simples:

  1. Não faça nenhum mal.
  2. Faça o bem.
  3. Obedeça as ordens de Deus.

Quando consideramos o meio-ambiente, nós repetidamente procuramos seguir a regra 2 enquanto negligenciamos a regra 1. Isso, é claro, quer dizer que estamos deixando de lado a regra 3 - pois Deus deu a comissão a humanidade de cuidar do mundo natural.

O desafio daqui a frente é considerar em que meios eu contribuo com a danificação do meio-ambiente, o que quer dizer que estou danificando meus vizinhos. João Wesley costumava perguntar aos seus companheiros se eles oraram pelo dinheiro que gastaram. Eu creio que esse era um meio de considerar o valor real de toda transação feita: se os gastos eram otimizados para o bem do mundo. Nós podemos começar a limitar o mal que fazemos através do consumo quando abordamos isso em oração. Nós consideramos o nosso consumismo através de oração e como  esse consumismo está danificando o mundo natural?

Se você quiser mais idéias de como limitar o dano do meio ambiente, visite essa página do United Methodist General Board of Church and Society: https://www.umcjustice.org/what-we-care-about/environmental-justice
 


Ryan Dunn é um Diácono ordenado na Igreja Metodista Unida que serve como Ministro de Online Engagement na United Methodist Communications em Nashville, TN.