Other Manual Translations: English français español

Nossas Crenças Cristãs: Jesus

Uma verdadeira janela de vidro Tiffany mostra Jesus no jardim. O painel está em exibição no lobby da Comissão Geral de Arquivos e História em Madison, Nova Jersey.
Uma verdadeira janela de vidro Tiffany mostra Jesus no jardim. O painel está em exibição no lobby da Comissão Geral de Arquivos e História em Madison, Nova Jersey.

Ao tentar encontrar palavras para expressar sua fé em Jesus, os escritores do Novo Testamento deram-lhe vários nomes. Jesus era Mestre, Rabino, Professor. Ele era o Caminho, a Verdade e a Vida. Ele era a Porta de entrada para o aprisco, a Luz do mundo, o Príncipe da Paz e muito mais. Na longa tradição da igreja, dezenas de outros nomes ou títulos foram dados. Vejamos cinco dos nomes bíblicos mais centrais para Jesus:

Filho de Deus

Cremos em Jesus como filho especial de Deus. Chamamos isso de Encarnação, o que significa que Deus estava no mundo na pessoa real de Jesus de Nazaré.

Filho do homem

Paradoxalmente, também acreditamos que Jesus era totalmente humano. Uma das primeiras heresias da igreja afirmou que Jesus apenas parecia ser humano, que ele era realmente uma figura divina disfarçada. Contudo a igreja primitiva rejeitou isso. Afirmou que Jesus era uma pessoa em todos os sentidos que nós somos. Ele foi tentado. Ele ficou cansado. Ele chorou. Ele expressou sua raiva. De fato, Jesus é a imagem de Deus do que significa ser um ser humano maduro.

Cristo

Dizemos "Jesus Cristo" facilmente, quase como se "Cristo" fosse o sobrenome de Jesus. No entanto, esse nome é outra maneira de expressar quem acreditamos que Jesus é. Cristo é a tradução grega da palavra hebraica “Messias”, que significa “o Ungido de Deus”. Por anos, antes do tempo de Jesus, os judeus esperavam um novo rei, um descendente do reverenciado rei Davi, que restauraria a nação de Israel à glória. Como reis da antiguidade, este seria ungido na cabeça com óleo, significando a eleição de Deus; portanto, o escolhido = o ungido = o messias = o Cristo. Os primeiros cristãos judeus proclamaram que Jesus era, de fato, esse escolhido. Assim, ao chamá-lo nosso Cristo hoje, afirmamos que ele foi e é o cumprimento da antiga esperança e do escolhido de Deus para trazer salvação a todos os povos, para todos os tempos.

Senhor

Também proclamamos Jesus como nosso Senhor, aquele a quem damos nossa devotada lealdade. A palavra “Senhor” tinha um significado mais poderoso para as pessoas da época medieval, porque elas realmente viviam sob a autoridade de senhores e monarcas. Hoje, alguns de nós podem achar difícil reconhecer Jesus como o Senhor de nossas vidas. Estamos acostumados a ser independentes e autossuficientes. Não nos curvamos à autoridade. Reivindicar Jesus como Senhor é submeter livremente nossa vontade à Dele, professar humildemente que é Ele quem está no comando deste mundo.

Salvador

Talvez o melhor de tudo seja que cremos em Jesus como Salvador, como aquele por quem Deus nos libertou de nossos pecados e nos deu o presente de toda a vida, vida eternal e salvação. Nós falamos desse presente como expiação, nossa “unicidade” ou reconciliação com Deus. Acreditamos que de maneiras que não podemos explicar completamente, Deus fez isso através do mistério do sacrifício de autodoação de Jesus na cruz e de sua vitória sobre o pecado e a morte na ressurreição.

From United Methodist Member's Handbook, Revised by George Koehler (Discipleship Resources, 2006), pp. 76-77. Used by permission.

Do Manual do Membro Metodista Unido, revisado por George Koehler (Discipleship Resources, 2006), pp. 76-77. Usado com permissão