Skip Navigation
Bispa Nhanala dirige Santa. Foto de Mike DuBose, UMNS

Foto de Mike DuBose, UMNS

Bispa Nhanala dirige Santa.

Num estilo tipico, Africanos celebram pentercostes em Portland

Por Naftal O.M. Naftal
18 de Maio de 2016 | PORTLAND, Ore. (UMNS)

Num espirito tipicamente africano, com cânticos e danças, delegados, Bispos e outros participantes provenientes das Conferencias Centrais de Africa, celebraram a descida do Espirito Santo no Centro de Convenções de Oregon, Portland.

Coube ao Bispo Eben Nhiwatiwa, da Área Episcopal do Zimbabwe dar palavras de boas vindas ao culto. Bispo Nhiwatiwa a relevância do continente Africano na história da humanidade. “Os momentos históricos tem o poder de nos conduzir a várias perceções com relação a um objecto em estudo. Quando se fala de Africa, o mundo vê pobreza, sofrimento, insuficiência de recursos e mais. Porem, esquecem do real valor que este continente tem.” — Disse Nhiwatiwa. “Não foi por engano que Deus disse ao José e Maria para que levassem o bebe para Egipto, em Africa, quando Herodes pretendia mata-lo” — Acrescentou Nhiwatiwa.

Palavra de Deus proclamada: Rev Jerry Kula desafia os Africanos a procurarem o caminho do seu destino

“Temos podemos sair do cruzamento para o caminho de Deus?” palavras de Rev. Jerry Kulah, da Conferencia Anual da Libéria e mensageiro do dia. Durante o desenvolvimento da sua pregação, Kulah disse que na vida existem muitos cruzamentos e é responsabilidade de cada descobrir o caminho para o seu destino”. Para suportar a sua mensagem, Kulah usou as escrituras extraídas nos Livros de Jeremias 6:16-17, Efésios 4:1-6 e o Evangelho segundo São João 17:6-23. Para terminar, Kulah reiterou a necessidade de estarmos unidos como uma Igreja e, usar a Bíblia como orientador “pois esta é a Palavra de Deus e pode melhor orientar-nos sobre que caminho devemos seguir, porém para tal temos que aceitar a Cristo como nosso guia” – concluiu

Coro da Universidade de Africa abrilhanta o culto dos Africanos: congrgacao canta e dança ao som das musicas da AU Choir

Este culto tinha como coro celebrante a “Africa University Choir” (Coro da Africa University) o qual não se poupou em fazer a congregação vibrar quando este apresentava os diversos cantos nas diversas línguas faladas em Africa, que é a marca e tradição deste coro que há vários anos tem vindo representar a instituição nas Conferencias Gerias e outros eventos como forma de fazer conhecer aquela instituição de formação Académica e Profissional.

Um dos momentos mais significantes deste culto, como não deixaria de ser, foi a partilha do pão e cálice, demonstração de amor e unidade que encontramos na morte sacrificial de Cristo para a salvação da humanidade.

No meio dos Ministrantes da Santa-Ceia, estavam alguns Bispos Africanos, incluindo a Bispa Joaquina Nhanala, da Área Episcopal de Moçambique.

“Foi um momento marcante e, sentimos a presença do Espirito Santo naquele culto” – declararam alguns delegados por nos entrevistados no fim da celebração.

 O culto que se esperava que durasse duas horas, foi além por mais de uma hora. “ Em Africa fazemos tempo e não gerimos tempo” – disse Rev. Evariste Kimba na sua intervenção.

Assim era celebrado o domingo de Pentecostes.

Portanto Ide…